Rede de Casas do Conhecimento

As Casas do Conhecimento são espaços que reúnem um conjunto de pessoas e recursos aliados à vontade de dinamizar a região em torno das tecnologias de informação, do conhecimento e da inovação. Visam contribuir para a disseminação do conhecimento, diminuir as assimetrias digitais e a info-exclusão das populações, através da mobilização das suas comunidades locais, regionais e académicas.
A Rede Casas do Conhecimento (RCdC) assenta na constituição de uma rede de divulgação científica e tecnológica baseada numa parceria entre a Universidade do Minho e o Município de Vila Verde, Município de Fafe, Município de Paredes de Coura, Município de Vieira do Minho, Município de Boticas, Município da Trofa, Município de Ponte da Barca e Município de Montalegre.

Rede de Clubes da Casa do Conhecimento

A Casa do Conhecimento pretende constituir-se como um centro de recursos partilhado para a comunidade escolar na área das tecnologias criativas. Pretende disponibilizar um conjunto de serviços e atividades que possibilitem o acesso a tecnologias de informação aplicadas em contextos de aprendizagem não formal, contibuindo para combater a exclusão digital e consequentemente a exclusão social. Partindo deste pressuposto a Casa do Conheciemento estabeleceu um Acordo de Cooperação com o Agrupamento de Escolas de Moure e Ribeira do Neiva, o Agrupamento de Escolas de Prado, o Agrupamneto de Escolas de Vila Verde, a Escola Secundária de Vila Verde e a Escola Profissional Amar Terra Verde visando o planeamento e concretização de atividades conjuntas.

Cidades Educadoras

O Município de Vila Verde pertence à Associação Internacional das Cidades Educadoras, uma iniciativa que vai ao encontro de um conceito de educação amplo e plural, que abarca contextos de educação formal e não-formal. Esta Rede Internacional tem como objetivo principal estabelecer permutas, cooperação e avanços no desenvolvimento e implementação de práticas inspiradas nos princípios da Carta das Cidades Educadoras.
Uma Cidade Educadora estimula a aprendizagem ao longo da vida, gera inovação, capital humano e favorece o crescimento do tecido social, oferecendo a todos os cidadãos a possibilidade de desenvolver as suas iniciativas contribuindo, assim, para a Sociedade do Conhecimento.

O conceito "MobiCurtas"

O MobiCurtas, um projeto da Casa do Conhecimento desenvolvido em parceria com a Rede de Clubes Casa do Conhecimento, tem como objetivo desafiar os participantes a utilizarem as tecnologias para a produção de conteúdos digitais. 
A acessibilidade às atuais tecnologias digitais, permite aceder rapidamente a informação sob a forma de texto, imagem, som ou vídeo. Esta facilidade leva a uma atitude consumista por parte dos seus utilizadores, sendo fundamental modificá-la no sentido de se tornarem também produtores, em suma, pretende-se que sejam "prosumidores digitais".
No âmbito da Rede Internacional das Cidades Educadoras, este projeto foi alvo de distinção em 2014, com uma apresentação no XIII Congresso Internacional de Cidades Educadoras, em Barcelona.
O projeto do MobiCurtas iniciou-se em 2012, sendo a 1ª e a 3º Edição de temática livre, "O Património Local" constituiu a temática da 2ª Edição, a "Escola" a da 4ª Edição. 

Mobicurtas 5ª Edição - 2017

A 5ª Edição do Mobicurtas decorre de janeiro a maio de 2017. Nesta edição pretende-se que os participantes se proponham a (re)criar uma composição imagética animada, com base em ferramentas digitais, dando origem a uma nova curta-metragem. A imaginação e a criatividade, a par dos meios tecnológicos anteriormente referidos, são os motores essenciais para esta produção. Olhar para uma curta-metragem, focalizá-la, observá-la, desconstruí-la e construí-la numa perspetiva diferente, é o desafio. Não há apenas espaço para um olhar sobre o mesmo conteúdo, mas para vários olhares. Ser diferente, marca a diferença.
Esta 5ª Edição será desenvolvida em três fases distintas, sendo a primeira de workshops sobre a temática de vídeo, com uma breve apresentação da sua origem e evolução histórica, da dinâmica da fotografia e do vídeo, das etapas para a realização de um vídeo, das possíveis aplicações a ser usadas e das suas potencialidades. A segunda fase será a de produção dos conteúdos , desenvolvida em contexto escolar em articulação com a Casa do Conhecimento. A terceira, e última, fase será a de exibição das curtas-metragens produzidas, prevista para o mês de maio.

 

 

 


MobiCurtas 6ª Edição - 2018

Já se encontra em curso a 6ª Edição do MobiCurtas. Por mais um ano consecutivo, este projeto da Rede de Clubes da Casa do Conhecimento envolve com entusiasmo todos os Agrupamentos/Escolas de Vila Verde.

A 6ª Edição do MobiCurtas designada “Imagens de Ciência”, como o próprio nome indica, foca a sua atenção na ciência. Pretende-se que os jovens centrem a sua atenção em fenómenos com que se deparam no seu quotidiano, façam experiências, as interpretem e as comuniquem à luz da ciência. No contexto do MobiCurtas, essa comunicação passa pela imagem e consequentemente, pela produção de conteúdos multimédia, que sejam exemplificativos e explicativos das experiências realizadas.

A produção de conteúdos, hoje em dia, é facilitada pela diversidade de meios tecnológicos disponíveis e acessíveis aos jovens. O telemóvel, uma ferramenta de uso diário, para além da sua utilização prática pode estar ao serviço da criatividade e da produção de conteúdos multimédia. Nesta 6ª edição do MobiCurtas pretende-se que ciência e tecnologia estabeleçam uma relação de mutualismo, em prol dos participantes desta edição.

Na escola são introduzidos conceitos básicos de ciência e o MobiCurtas, para além de pretender dar o seu contributo, pretende ser um incentivo a esse trabalho, introduzindo a variante da produção de conteúdos.

Colocar os jovens em contacto com a ciência pode tornar-se uma mais valia para lhes aumentar o interesse e o conhecimento nesta área. Ter acesso ao conhecimento científico e sobretudo a experiências práticas, pode tornar mais fácil a sua interpretação e transposição para o quotidiano. Formar na área da ciência, possibilitará formar cidadãos mais intervenientes, esclarecidos, responsáveis e com competências adaptadas ao mundo atual.

A comunidade científica, cada vez mais, pretende desmistificar a ciência e aproximá-la dos cidadãos, tende a fazer comunicação de ciência de uma forma acessível, usando ferramentas de comunicação,também elas, acessíveis. Comunicar ciência é cada vez mais imprescindível, uma vez que a sociedade atual está cada vez mais dependente dela.

Como habitualmente, a 6ª Edição do MobiCurtas contará com três fases. A primeira fase, já concretizada a 24 de janeiro, consistiu num Workshop, apresentado pelo Eng. Adelino Silva e pela Eng. Lúcia Pereira, destinado aos professores representantes da Rede de Clubes da Casa do Conhecimento. Nesta sessão de trabalho a comunicação de ciência foi um dos objetivos e para tal foram demonstradas duas experiências e os fenómenos que poderiam ser descritos. Em simultâneo, e também de uma forma prática na medida em que as experiências estavam a ser filmadas, foram abordados os aspetos técnicos a ter em conta para uma filmagem com qualidade, tais como estabilidade de imagem, condições de luz, fundos, etc.. A segunda fase será a de Produção de Conteúdos ,desenvolvida em contexto escolar em articulação com a Casa do Conhecimento. A terceira fase passará pela Exibição dos conteúdos multimédia produzidos, prevista para o final do mês de abril, a realizar na Casa do Conhecimento.

Somos envolvidos pela ciência diariamente, desde os procedimentos mais básicos aos mais complexos, o desafio está em identificá-los e percebê-los para que possam tornar a nossa vida mais funcional. Resta-nos aguardar e ver de que forma este desafio desperta a curiosidade e a criatividade dos mais jovens.